edicao muriel 1

Espelho

Escrito por Muriel Elisa Távora Niess Pokk

Passo em frente ao espelho…

Olho-me.

Enquanto dou uma ajeitadinha nos cabelos, meus pensamentos começam a divagar…

Volto à minha juventude.

Revejo a adolescente esbelta cheia de sonhos e alegria.

Vejo seu rosto lisinho sem nenhuma marca de expressão, seus longos cabelos negros esvoaçando ao vento, seus olhos castanhos brilhantes, com aquele brilho especial de quem acredita na vida.

Vejo-a já moça vestida de noiva entrando na igreja.

Em seguida, em vários flashes, eu a vejo pular de alegria ao saber-se grávida; e, depois, beijando e abençoando seu filho que acabara de nascer.

Vejo-a muito feliz ao saber-se grávida pela segunda vez.

Um nó aperta minha garganta, eu a vejo em prantos ao saber que sua filha é portadora da síndrome de Down.

Outros flashes me vêm à mente… Eu a vejo chorando ao ser abandonada por seu marido; e ela dando aos filhos todos os cuidados que necessitavam.

Vejo-a matricular-se no ginásio, novamente, só para acompanhar sua filha às aulas.

Eu a vejo perdoando seu marido, que voltara depois de longos anos.

Vejo-a também, com muito sacrifício, pagar a faculdade de seu filho e, cheia de si, ao ver seu filho receber o diploma de psicólogo.

Vejo-a sorrir orgulhosa ao ver sua filha, em seu vestido branco, ir ao encontro de seu futuro marido. Deixar as lágrimas rolar ao vê-la recebendo as bênçãos nupciais.

Eu a vejo com o olhar cheio de felicidade observar, agora, seu filho no altar e, com sua amada, trocar alianças.

Eu a vejo, em prantos, jogar as cinzas do marido ao mar.

Vejo-a ainda de joelhos, agradecendo a Deus por ter cumprido sua missão.

Saio do transe, olho-me novamente no espelho…

Meus cabelos estão brancos.

Em meu rosto as rugas aparecem.

O telefone toca…

É alguém me cumprimentando por eu estar fazendo aniversário.

Sorrio, os anos passaram… e eu nem me dei conta.

__________________________

Muriel Elisa Távora Niess Pokk, 71 anos, nasceu na capital paulista, onde reside e, desde que se aposentou, dedica-se à defesa dos direitos das pessoas portadoras de deficiência. Realiza, gratuitamente,  palestras sobre a síndrome de Down em todo o território nacional. Frequentemente é entrevistada por: jornais, revistas, sites, organizações especiais e programas de televisão, por sua luta para que a filha, Rita de Cássia, síndrome de Down, realizasse todos os seus sonhos.Sem recursos financeiros e trabalhando o dia todo, tornou-se autodidata para tratar da filha. Foi “fonoaudióloga”, “fisioterapeuta”, “psicóloga”, “nutricionista”, “professora” etc. Como não aceitaram sua filha por não haver professores especializados no ensino fundamental II, ela matriculou-se com Rita no período noturno e com ela completou essa etapa de estudos. Para que sua filha pudesse aprender computação – seu grande sonho – comprou um computador e entrou num curso de informática, e, a cada aula, em casa  ensinava à filha o que havia aprendido. Em fevereiro de 2000, criou a primeira sala de bate-papos para Deficientes, inédita no mundo. Por esse feito, seu nome consta na Ata da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, com um “ATO DE LOUVOR”.

Ainda em fevereiro de 2000, criou o site “Grandes Encontros” – http://www.grandesencontros.com.br – site de encontros para deficientes, fato este, na época, inédito no Brasil e no exterior. Uma grande inovação na cibernética universal. Em 2000, Rita conheceu Ariel, também síndrome de Down, e casou-se com ele em 2003. Esse casamento entre Downs foi, na época, inédito no Brasil e, ao que se tenha conhecimento, no mundo.Em 10 de maio de 2006, por todos seus esforços em favor das pessoas com  deficiência, foi agraciada pela Câmara Municipal de São Paulo  com o troféu: “Mãe de sucesso 2006”. Atualmente, dá orientação gratuitamente sobre como proceder quanto à inclusão de  portadores da síndrome de Down em escolas comuns. Paralelamente, escreve artigos, crônicas, poemas e poesias, que são publicados em  blogs, sites e jornais virtuais.Tem três livros publicados:

  1. De mãos dadas com Deus (onde conta sua trajetória para ajudar Rita)
  2. Poesias ditadas pelo coração
  3. Momentos (poesias, crônicas, orações, poesias)

Caro leitor 60+, compartilhe suas histórias, pensamentos, experiências, sonhos, desejos e ideias. Mande seu texto para edna@amominhaidade.com.br e participe deste espaço.

Edna Perrotti

Edna Perrotti é doutora em Linguística Aplicada pela PUC/SP, onde foi professora de Língua Portuguesa e de Redação. Também trabalhou durante mais de 20 anos na Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), nos cursos de graduação e pós-graduação. É membro honorário da Academia Paulista de Educação e diretora da...

Outras publicações do autor