marilena

Estamos virando moda…

A tal “Terceira Idade”, a rigor, deveria ser a “Quarta Idade”. Veja bem: há a infância, a adolescência, a idade adulta e a idade mais adulta ainda, ou da terceira idade.

Quais seriam os limites e parâmetros para essa fase?

Para nós, brasileiros, o consenso é que ela chega, assim, toda lépida, aos 60 anos, quando não precisamos mais pagar passagens de ônibus nem metrô, podemos furar fila à vontade e já contamos com a aposentadoria.

Direitos constituídos.

Estamos virando moda. Cresceu muito o número de médicos especializados, os geriatras.  E também de estudiosos – os gerontólogos –  vindos de outras formações: Educação Física, Serviço Social, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Administração, Psicologia…

É o olhar interdisciplinar desses profissionais que vai fazer com que consigamos lidar com as questões do envelhecimento da forma mais natural possível.

E nos auxiliar a usufruir esse grande mercado emergente voltado para nossa faixa etária e nos orientar quanto a um planejamento financeiro  necessário.

As áreas de Turismo, Lazer, Cultura  e Bem-estar estão à disposição, seja qual for a condição social. Muitos programas, excursões, palestras e cursos são gratuitos e bem ali pertinho de você. Procure se informar.

Precisamos nos organizar para transformar os momentos que sobram num ócio criativo. Encontrar tarefas prazerosas que ocupem o pensamento. Aprender coisas novas. Marcenaria ou idiomas, tanto faz.

Nunca, nesse país, as pessoas envelheceram tão bem. A expectativa de vida aumentou. Estamos mais saudáveis e conscientes de que nosso tempo é o futuro. Nossa renda diminuiu. Mas não temos de gastar tudo em medicamentos, embora a ida à farmácia possa até ser divertida. De repente, você vai comprar o remédio do colesterol e sai com uma caixa de sabonete  cremoso, um creme para aliviar dores nos pés e uma revista.

As conversas mudam. Em vez de papear com o pessoal da fila sobre política ou novela, você faz o relato completo de sua última internação. E fica encantado com a prótese perfeita na mão do sujeito à sua frente!

Exercitemos também nosso físico. Não precisa ser na academia. Antes de sair da cama, alongue-se. Espreguice-se. Boceje. Saia no terraço. Caminhe pelas ruas com ou sem cachorro.

Se você tem o privilégio de morar em casa, tome sol ali no quintal mesmo. Proteja rosto e mãos com filtro solar e deixe o sol lhe fazer um carinho.

Preste atenção à sua respiração. Deixe o ar entrar pelo nariz e sair pela boca. Encontre seu ritmo. Ouça seus batimentos cardíacos. Para que a pressa?

 

Marilena de Lauro Montanari

Marilena Esberard de Lauro Montanari é mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC/SP, onde foi professora de Comunicação e Expressão e de Literatura. Também trabalhou nos cursos de graduação da Fiam/FMU. Sócia-diretora da Inteligência Empresarial Consultoria e Participações, é consultora para produção de textos, instrutora de cursos de Gramática...

Outras publicações do autor