imagem-escola-games

Serious Games. Quando a diversão dos netos é o agente transformador na vida dos avós.

Já não é de hoje que os games normalmente utilizados para o entretenimento começaram a ser enxergados também com propósitos educativos. Veja que curioso: a primeira iniciativa nessa direção foi um projeto desenvolvido pela Atari nos anos 80 ao desenvolver um jogo concebido para treinar militares em situação de batalha. Surgia então a denominação serious games.

Simuladores de cirurgias cardíacas e até mapeamento corporal para elucidar os pontos da acupuntura, são hoje em dia alguns exemplos, dentre centenas, de serious games muito difundidos no dia a dia de médicos em formação e outros tipos de treinamento.

Essas ferramentas hi-tech são consideradas games porque simulam virtualmente a realidade, possuem estratégias e oferecem desafios e pontuações para cada fase bem sucedida, exatamente como os games dos nossos netos.

Os jogos que induzem à prática esportiva e à dança, como as famosas séries Wii Sports e Just Dance, também parecem diversão, mas são excelentes máquinas de qualidade de vida, uma vez que promovem coordenação motora, atividade física, diminuição do stress e muito mais.

 “Outro jogo que visa estimular pessoas idosas a realizar exercícios através da dança e utiliza um tapete especial que mostra a posição dos passos para fins  de  pontuação é o  (http://www.humanagames.com/). O sucesso  de  tais  aplicações também  foi  verificado  na melhoria  do controle  postural  e  na  minimização  de  quedas  em  pessoas  idosas*.”

Porém, a melhor notícia é que uma das iniciativas mais inovadoras como relação ao uso da tecnologia dos games para a qualidade de vida dos 50+ vem aqui do Brasil e atende pelo nome de Fabio Ota, fundador da ISGame-  escola de games.

O diferencial do pensamento de Ota foi criar um método para que os 50+ participem não apenas como jogadores, mas também como desenvolvedores e programadores dos games. Ou seja, Fábio Ota e a sua ISGame capacitam pessoas na melhor idade para criarem, desenvolverem e programarem seus próprios jogos, exercitando cognição, memória e sociabilidade, entre outras habilidades.

A pesquisa completa do Sr. Ota com o apoio da FAPESP, encontra-se no link abaixo e vale a leitura pela sua inovação e importância.

” Essa experiencia deu resultados tão positivos que o método de aprendizagem poderá ser replicado para outras turmas abrindo assim todo um universo de protagonismo, saúde física, mental e social para pessoas com 50+. O maravilhoso mundo dos games, um universo que parecia pertencer apenas aos netos, dá cada dia mais, às boas-vindas também a nós, os avós.”

Tese do Fábio:

http://www.bv.fapesp.br/pt/auxilios/93128/programacao-de-games-para-o-desenvolvimento-do-raciocinio-logico-e-prevencao-do-declinio-cognitivo-e/

*Fonte Research Gate:

https://www.researchgate.net/publication/266334970_Capitulo_2_Serious_Games_para_Saude_e_Treinamento_Imersivo

ISGame:

http://isgame.com.br/

Renata Namo

Renata Namo - REDATORA E DIRETORA DE CRIAÇÃO/ Comecei muito cedo no mercado de trabalho. Aos 16 já vendia roupa no shopping e era bailarina profissional. Aos 18 comecei a trabalhar no estúdio de um fotógrafo de moda muito famoso, o Bob Wolfenson e com os contatos que fiz por...

Outras publicações do autor