foto 8 desafios

8 dicas para se aposentar bem

#todososangulosdaaposentadoria

1. Reconstrua sua identidade

Gravei esta série de 8 vídeos com o objetivo de trazer questões iniciais, porém muito importantes, para o momento de se aposentar. Pequenas pílulas de reflexões que talvez nunca tenham passado pela sua cabeça.

A primeira questão que trataremos é a perda de parte da IDENTIDADE quando se deixa de trabalhar e de exercer uma função realizada durante muitos anos. “Parece que perdemos um pedaço da gente”. Somos representados pela instituição que frequentamos e reconhecidos socialmente por aquilo que fazemos. Abandonar o crachá com o nome da empresa para a qual se contribuiu tem um lado difícil. Você perde aquela identificação que gera orgulho, que te insere de forma digna no mundo: João, funcionário público, Rosana, dentista, trabalha na prefeitura de Belo Horizonte ou na empresa tal. Depois, passa a ser apenas aposentado(a). Uma palavra não muito valorizada na nossa cultura, infelizmente.

Já observaram que, geralmente, quando conhecemos alguém, a primeira coisa que perguntamos é como se chama e a segunda, o que ela faz, com o que trabalha? Por tudo isso costuma-se sentir como perda significativa a interrupção de um trabalho. E é importante buscar outros papéis sociais, onde você possa depositar energia e se nutrir de vitalidade.

O que você quer ser depois que se aposentar? Empreendedora, cozinheiro, cuidadora, escritor? Algo que saiba fazer bem feito e que te faça ser reconhecido. Saiba dizer quais são suas habilidades e coloque-as em prática. Encontrando esse caminho, sentirá que é possível dar nova forma à sua identidade.

Se você já se aposentou e viu que essa não é uma experiência fácil, compartilhe esse conteúdo (facebook.com/trampolim60mais) para que pessoas que ainda não passaram por isso possam se preparar melhor. Compartilhar boa informação é transmitir educação.

Cecilia Xavier

Começo dizendo que sou uma otimista com o poder de transformação das ações de cada um a partir de seus desejos. Prefiro acreditar e fazer acontecer a me queixar passivamente do que não posso controlar. Trabalho na área da saúde desde 2003 como terapeuta ocupacional em Belo Horizonte-MG e...

Outras publicações do autor